Exposição de Karin Mamma Antdersson na 33a Bienal de São Paulo

Para quem gosta de arte, é a Disneylândia. Muitos, porém, tomam seu primeiro contato com uma exposição durante a Bienal de São Paulo e a principal preocupação é que o grande público seja realmente tocado e passe por uma experiência transformadora.

A edição que começa neste sexta, no feriado de 7 setembro, e vai até 9 de dezembro, com entrada grátis, tem curadoria-geral de Gabriel Pérez-Barreiro, espanhol radicado em Nova York, e uma das maiores autoridades em arte contemporânea.

Mas Pérez-Barreiro dividiu a responsabilidade e chamou artistas para que também participassem da curadoria, com a condição que incluíssem obras deles próprios.

Em um mundo saturado de informações, acelerado pela tecnologia e polarizado por ódios e paixões, nunca a arte foi tão necessária. Seja pelo poder de levar à contemplação e permitir descobertas interiores quanto de instigar reflexões e atitudes mais cidadãs.

Na edição anterior, foram 900 mil pessoas. Uma particularidade da mostra é que o público comparece não apenas na abertura e as ações educativas fazem um importante trabalho de formação. Nós separamos dez dicas para você aproveitar a experiência ao máximo.

SERVIÇO

33ª Bienal de São Paulo – Afinidades afetivas
De 7 de setembro a 9 de dezembro de 2018
Entrada gratuita
Pavilhão Ciccillo Matarazzo, Parque Ibirapuera
Ter, qua, sex, dom e feriados: 9h – 19h (entrada até 18h) qui, sáb: 9h – 22h (entrada até 21h)
Fechado às segundas
www.bienal.org.br

Fechar X
Fechar X