Num ensaio que demonstra que beleza não acaba numa certa idade, a Playboy decidiu recriar algumas de suas capas décadas depois, com as modelos originais.

Na edição do ensaio, algumas das ex-coelhinhas comentam sobre seu estilo de vida. “Eu montei um time de coelhinhas. Éramos dez garotas, e participamos de maratonas no país inteiro, arrecadando dinheiro para caridade”, conta Charlotte Kemp, Playmate de 1982.

Apesar de ser duramente criticada por objetificar mulheres, a visão da matéria é incrivelmente positiva em relação à beleza e ao corpo da mulher, mostrando como é possível sim ser sexy quando não se é mais jovem.

“Quando eu posei para a Playboy, houve uma controvérsia porque eu fui a primeira mulher Playmate do Ano afro-americana, e algumas mulheres disseram que eu estava sendo objetificada”, disse Reneé Tenison, Playmate de 1990 e de Novembro de 1989. “Mas eu pensei, ‘Se vocês se dizem pró-escolha, eu não deveria poder escolher o que quiser? Se eu quiser posar nua, eu deveria ter o direito de posar nua!”

A Playboy vem tentando se repaginar e mudar sua mensagem vista como sexista, evitando focar tanto na nudez e mais no conteúdo da revista em si.

Veja as fotos antes e depois das capas recriadas:

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos