Queermuseu foi vetada no Rio

Reprodução Queermuseu foi vetada no Rio

Uma reunião do Conselho Municipal do Museu de Arte do Rio (Conmar) rejeitou nesta terça-feira (3) a continuação das negociações para levar a exposição Queermuseu ao Rio de Janeiro. Em nota divulgada durante a tarde, a instituição lamentou o que classificou como um “debate inflamado por intensas polêmicas, que levaram a prefeitura do Rio de Janeiro, por ser este museu de sua rede municipal de equipamentos culturais, a solicitar a não realização de Queermuseu no MAR”.

No comunicado, o conselho se diz “favorável à realização da exposição Queermuseu – cartografias da diferença na arte brasileira, bem como a de qualquer outra atividade que contribua para o exercício da arte como fundamento de nosso processo civilizatório”.

Queermuseu gerou polêmica no Santander Cultural de POA

Reprodução Queermuseu gerou polêmica no Santander Cultural de POA

Dos nove membros do Conmar, dois são ligados à Secretaria Municipal de Cultura: a secretária Nilcemar Nogueira e o subsecretário André Marini.

Até o mês passado, o Conmar era formado por 11 membros e apenas 1 ligado à Prefeitura. Um decreto publicado pelo prefeito Marcelo Crivella no último dia 11 eliminou duas vagas e entregou uma cadeira a mais para sua administração.

No domingo (1º), Crivella divulgou um vídeo onde deixa claro que vetaria a entrada da exposição no Rio de Janeiro. “Só se for no fundo do mar. Por que no Museu de Arte do Rio, não”, ele diz.

O Conmar divulgou nota deixando claro seu posicionamento contrário ao do prefeito, que tem ligação com a Igreja Universal. Leia:

CONMAR – Conselho Municipal do Museu de Arte do Rio – MARNota públicaO CONMAR, Conselho Municipal do Museu de Arte do Rio – MAR, instituído pelo decreto 36.909 de 18 de março de 2013, e ratificado pelo decreto de 43615, de 11 de setembro de 2017, que tem como atribuições “estudar políticas públicas e propor diretrizes para a implantação das atividades desenvolvidas no MAR e em seu entorno” e “acompanhar e fomentar as estratégias de programação, atividades educacionais, aquisição e conservação de acervo, comunicação, sustentabilidade e operação inerentes ao MAR”, vem a público reafirmar, pelo conjunto de seus membros, sua mais profunda crença nos princípios da liberdade de expressão e das manifestações artísticas, no respeito à diversidade, no diálogo e na educação.

À luz desses valores, o Conselho Municipal do MAR é favorável à realização da exposição Queermuseu – cartografias da diferença na arte brasileira, bem como a de qualquer outra atividade que contribua para o exercício da arte como fundamento de nosso processo civilizatório.O CONMAR entende também que qualquer iniciativa do Museu se realize em consonância com os cuidados éticos e jurídicos definidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), pelo Ministério da Justiça e pela Constituição Brasileira; no caso, com classificação indicativa, sinalização com orientações efetivas sobre o teor das obras expostas e permanente mediação junto ao visitante, de forma a estabelecer relações com e entre as diversas perspectivas culturais e ideológicas de todos os seus públicos.Diante do exposto, lamentamos o modo como este debate tem sido inflamado por intensas polêmicas, que levaram a Prefeitura do Rio de Janeiro, por ser este um museu de sua rede municipal de equipamentos culturais, a solicitar a não realização de Queermuseu – cartografias da diferença na arte brasileira no MAR.

O CONMAR, no entanto, recomenda que o Museu, cumprindo com sua função pública, promova, abrigue e amplie o debate e as reflexões em torno do papel da arte, das instituições e de toda a sociedade para a construção da diversidade e da produção de diálogos calcados na escuta e no respeito às diferenças.O CONMAR recomenda, por fim, que o Museu, a Secretaria Municipal de Cultura e demais instâncias próprias mantenham um diálogo constante, afim de que exposições dedicadas às questões pungentes do nosso tempo continuem a ser realizadas no Museu de Arte do Rio, em consonância com a sua missão de ser um espaço público “de todos, para todos”.Rio de Janeiro, 3 de outubro de 2017CONMAR – Conselho Municipal do Museu de Arte do Rio.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos