A famosa pistola usada na morte de Vincent Van Gogh vai a leilão nesta quarta-feira, no dia 19, na casa de leilões “AuctionArt Rémy Le Fur”, em Paris. A arma chegou a ficar exposta no Museu Van Gogh, em Amsterdã.

Um revólver Lefaucheux, 7mm, que passou por testes que indicam que ele ficou no solo por um período que coincide com o ano de sua morte, em 1890, embora não seja garantido. Mas a história de sua morte em si também não é algo garantido.

A narrativa de que ele se matou atirando em si mesmo no estômago com uma arma do dono da pensão foi reconhecida por muitos anos como a história real de sua morte. No entanto, os autores Steven Naifeh e Gregory White Smith de “Van Gogh: A Vida”, acreditam que sua morte foi acidental.

“O que era entendido entre os que o conheciam em Auvers era que ele tinha sido atingido pela arma acidentalmente disparada por dois meninos, e que [Van Gogh] decidiu protegê-los assumindo a culpa”, disse Steven Naifeh. “Esse jovens, um dos quais estava vestindo uma roupa de cowboy e levava uma arma quebrada consigo, costumavam sair com Vincent naquele horário do dia.”

O ângulo do tiro também é motivo para se acreditar que não foi um suicídio, por ser oblíquo demais ao contrário do típico tiro reto e direto. Além disso, os escritores argumentam que ele não voltaria para ser socorrido se quisesse morrer. Foi também apresentada uma suposta confissão do garoto que atirou no pintor.

Um dos artistas mais marcantes da história ainda não pôde ter sua própria história confirmada, gerando ainda mais mistério sobre sua vida. Seu legado, no entanto, continuará inegável, e sua importância, impossível de ignorar.

Veja aqui algumas animações inspiradas em sua obra, “Noite Estrelada”:

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos