spark

Pode confessar: você já pensou alguma vez na vida o quão sensacional seria se existisse um Tinder só de metrô. Se você usa transporte público sabe que é um tanto quanto comum você encontrar o amor da sua vida nele (aliás, vários amores da sua vida, que têm uma vida útil bem pequena). Agora existe um aplicativo que permite que você conheça essa sua alma gêmea do metrô e que vocês tenham a chance de viver toda a historia que você planejou na sua cabeça: o Spark.

O app foi criado em parceria por Dave Marsden, de 24 anos, e Gabriel Sharp, de 25, e funciona da seguinte maneira: quando você encontra uma pessoa pela qual se interessa, você abre o Spark, procura o perfil da dela e manda uma faísca para o coração da pessoa. O usuário só vai receber a faísca depois que vocês já tiverem se afastado, o que evita aquele constrangimento chato.

Para que dê certo é necessário que a pessoa tenha um perfil no aplicativo, e um diferencial do app é que cada pessoa só possa mandar uma faísca por dia, fazendo com que a pessoa tenda a não entrar em contato se não estiver realmente interessada. Quem recebeu a faísca tem até 24 horas, senão ela estará perdida para sempre. As conversas que não estiverem ativas há mais de uma semana também serão perdidas.

O mais legal do Spark é que você não precisa ficar dependendo de WiFi/3G/4G para conseguir usá-lo, pois ele funciona, basicamente, com Bluetooth, então se a internet do metrô estiver zoada, você ainda vai conseguir investir na paquera. O lado ruim disso tudo é que pelo menos por enquanto, ele está disponível apenas no Reino Unido.

Fechar X

Fechar X
Sem mais artigos