Os argentinos foram às ruas a favor do campo e contra o governo no, já conhecido, panelaço, que em 2001 tomou as ruas da Argentina pedindo a renúncia do então presidente Fernando de La Rua.

Dessa vez, o protesto é para que o governo reveja a medida de 11 de março que aumentou as "retenciones" (os impostos de exportações) dos grãos.

O panelaço também foi um "basta" ao estilo autoritário de governar de Cristina Kirchner e seu marido, o ex-presidente Néstor Kirchner, que, mesmo não ocupando o cargo, tem poder na Casa Rosada.

Para amenizar a situação, Cristina falará hoje ao país em uma transmissão de rádio e TV para comentar o conflito do campo.

Será a terceira vez em seis meses de gestão que a presidente apela à rede oficial para dirigir uma mensagem à população. A última vez foi na segunda-feira da semana passada, dia 9, quando anunciou o plano social que será financiado com o dinheiro das retenções (impostos) sobre as exportações de grãos, foco do conflito com as câmaras agropecuárias.

Qual é o seu ritmo? Seja qual for, venha curti-lo de uma forma diferente!

Fechar X
Sem mais artigos