A Biblioteca Nacional, principal arquivo histórico do país, ultrapassou em 2014 a marca de 740 mil documentos digitalizados, entre eles a primeira edição do livro Os Lusíadas, de 1572, de Camões, a Bíblia de Moguncia, de 1462, e a carta de D. João que abre os portos brasileiros, de 1808.

O acervo começou a ser dispobibilizado na internet em 2006, mas o trabalho de digitalização começou em 2001. Atualmente, a média de acessos bate os 300 mil por mês. A coleção da Biblioteca Nacional, que pode ser acessada em cópias em alta resolução no site, é considerada Memória do Mundo pela UNESCO.

 

Fechar X
Sem mais artigos