Em 2016, as autoridades do distrito interiorano de Lincolnshire, na Inglaterra, criaram a campanha ‘Ask for Angela’ para ajudar quem estivesse passando por situações de assédio em bares, pubs e restaurantes. A iniciativa era popularizar um cógido discreto que começou com um cartaz colado nos banheiros masculinos e femininos dos estabelecimentos que apresentava a personagem fictícia Angela.

“Oi, eu sou a Angela. Você está em um encontro que não está dando certo? Sente que não está em uma situação segura? Seu encontro do Tinder ou POF não é exatamente como aparece no perfil? A situação parece um pouco estranha? Se você for ao bar e dizer ‘cadê a angela?’, os funcionários saberão que você precisa de ajuda e poderão chamar um táxi ou mesmo a polícia discretamente”, diz o anúncio.

A campanha ganhou força na Inglaterra e as associações de bares e pubs aderiram ao movimento e têm se empenhado em treinar os funcionários para estas situações. Segundo a CNN, Angela vem de “angel” que, em inglês, significa anjo. Neste mês, os países de língua inglesa Escócia, Austrália e Nova Zelândia também se juntaram formalmente à campanha. Informalmente, perguntar pela Angela tem se tornado um código silencioso de ajuda em casos de assédio em vários países do mundo.

Fechar X