A presidente Dilma Rousseff disse nesta segunda-feira, em pronunciamento na abertura da reunião com governadores e prefeitos no Palácio do Planalto, que vai propor a convocação de um plebiscito que autorize uma Constituinte para promover uma reforma política no país.

“O Brasil está maduro para avançar e já deixou claro que não quer ficar parado onde está”, disse a presidente.

Segundo Dilma, o governo deve “dar prioridade ao combate à corrupção de forma ainda mais contundente do que já vem sendo feito em todas as esferas”.

A presidente propôs uma nova legislação que considere a “corrupção dolosa (quando há intenção) como crime hediondo”, com penas mais severas.

Dilma também defendeu o pacto de responsabilidade fiscal, com o objetivo de manter a estabilidade da economia e o controle da inflação.

Além disso, a governante anunciou a criação do Conselho Nacional do Transporte Público, que contará com a participação da sociedade, e pediu um pacto com os governantes pela saúde, com a importação de médicos estrangeiros e a criação de novas vagas de graduação e residência médica.

Fechar X
Sem mais artigos