A deputada norte-americana Dar’shun Kendrick, representante do estado da Georgia, lançou no início da semana um pacote legislativo chamado de ‘declaração de direitos testiculares’. Ela postou o projeto de lei em seu Twitter e escreveu: “você querem regulamentar os corpos e as escolhas? Feito!”.

A ideia é resposta a um projeto de lei que tramita no Senado para rever as leis contra o aborto no estado e, se aprovado, será um dos mais severos em relação ao assunto nos Estados Unidos. “O meu projeto é para levantar a questão de que vocês vão legislar os nossos corpos, então nós temos todo o direito de propor uma legislação que regulem os de vocês também”, disse a deputada à revista Rolling Stone.

A medida enviada por Kendrick propõe que os homens obtenham permissão de suas parceiras sexuais para comprar Viagra ou qualquer outro medicamento para disfunção erétil; banir procedimentos de vasectomia em determinadas situações; tornar um crime grave para homens transar sem preservativo; exigir teste de DNA para gestações com mais de seis semanas e determinar que os pais paguem pensão a partir deste momento para o bebê e que os homens tenham que esperar 24 horas para serem aprovadas compras de qualquer conteúdo ou acessório pornográfico.

“Kendrick está certa em levantar esta temática, pois nenhuma outra questão de saúde é tão regulada e restritiva quanto o aborto”, disse Elisabeth Smith, diretora do Centro de Direitor Reprodutivos, ao site Insider.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos