Fechar X

“Quando você está em um casamento, de vestido chique e salto alto, e seu bebê começa a chorar… Bem, você não dá a mínima e alimenta a sua criança”. Esse é o começo de um post que ganhou as redes na última semana, publicado no Instagram por Naomi Jael. Na foto, a mãe aparece amamentando seu filho TJ em uma festa de casamento. Até aí, nada demais, não é? Apesar de ser uma atitude absolutamente natural e nada desrespeitosa, Naomi precisou ouvir alguns absurdos e ser “desconvidada” de um casamento por conta de sua postura. Faz sentido para você? Pois é, nem para a gente.

“Para os que se sentiram incomodados com isso, eu também amamentei meu filho durante a cerimônia, dentro da igreja. Aqui, na Alemanha, as pessoas acham isso normal. Não é deselegante ou ruim. É por isso que eu tenho seios! Deus me deu peitos para amamentar meus bebês”, reforçou Naomi na legenda da foto, que foi replicada por outro perfil do Instagram, o Empowered Birth Project. Nesse perfil, a publicação já tem mais de 13 mil likes e 730 comentários. Muitos são em apoio a Naomi; alguns, porém, revelam verdadeiros absurdos, como os que ela ouviu à época do casamento em questão.

Na festa, diversas pessoas falaram que Naomi deveria esconder o seio, cobrir-se com um cobertor ou ter bombeado o leite mais cedo e levado numa garrafinha para o bebê. “Eu queria mostrar que, literalmente, não há nada demais em amamentar. Não importa as circunstâncias. Eu estava cuidando do meu bebê de 8 meses e acabei desconvidada para um casamento. Mas nós tivemos uma festa ainda melhor só entre nós”, defendeu ela.

Preconceito, aversão e rejeição é algo que faz parte do cotidiano de mães que desafiam essa regra de etiqueta ultrapassada, apesar de soar absurdo e surreal demais. Aqui no Brasil, em São Paulo, o estranhamento nas ruas e espaços públicos prevalece, como mostramos na reportagem abaixo. Se liga!

Como as pessoas reagem nas ruas vendo uma mãe amamentando

Fechar X
Sem mais artigos