Fechar X

O novo prefeito de São Paulo, João Dóriaestá implementando um projeto chamado “Cidade Linda” que visa remodelar ou “embelezar”  a paisagem urbana. Um dos pontos do projeto trata de apagar uma série de grafites. Artistas e grafiteiros estão se posicionando contra o “Cidade Linda” nas redes sociais com a hashtag #culturanãoseapaga e apresentando alternativas para que a cidade permaneça com a sua arte de rua viva.

Abaixo, a grafiteira Barbara Goy mostra em um vídeo em plano-sequência como ficou o aspecto da Avenida 23 de Maio sem os grafites. Antes, o lugar era chamado de “maior mural de grafite a céu aberto da América Latina”. O vídeo já teve 5 milhões de visualizações

O grafiteiro Celo dos Santos, o Santvs, acredita que as pessoas ainda confundem grafite e pichação e que depois do “Cidade Linda”, as pichações devem ganhar novo destaque. “O novo prefeito quer maquiar a cidade, mas é um tiro pela culatra. Agora vai ter menos espaço para o grafite e vão aumentar as pixações, não tenha dúvida. Eu respeito o pixo e sei que eles também estão se expressando e falando de muitas coisas importantes. No clima de guerra entre grafiteiros e poder público, pode esperar que o pixo vai crescer”, afirma.

Rua Gaspar Lourenço, Ana Rosa (SP)

Santvs Rua Gaspar Lourenço, Ana Rosa (SP)

O grafiteiro Rodolfo Sales, o Gregolamenta a falta de diálogo da prefeitura com os artistas: “São Paulo tem muita coisa para aproveitar. Dá para tirar muito proveito da cidade, mas por outro lado, ela também  tira muito da gente sem grandes avisos. ‘#ALataVairRevidar'”.

Avenida 23 de Maio antes do "Cidade Linda"

GregOneBR Avenida 23 de Maio antes do “Cidade Linda”

O grafiteiro Mundano postou em seu Facebook um vídeo onde ele aparece removendo a tinta que cobria sua obra, localizada na Avenida Brigadeiro Faria Lima, altura do Largo da Batata. “Hoje eu estou no Largo da Batata deixando a cidade mais linda”, diz o artista no início do vídeo.  O desenho tem a frase “não dê vexame, São Paulo não é Miami”, alusão aos planos de Dória que pretende criar um “grafitódromo” inspirada em  “um bairro de Miami Beach”.

Felipe Yung, o Flippondera: “O primeiro passo para que a gente preserve os grafites é promover um diálogo com a prefeitura. É o mais sensato a  fazer. De qualquer forma, essa ação nunca irá impedir ou exterminar o grafite e a pixação, que são expressões legítimas embrenhadas na cidade”, afirma o grafiteiro.

Grafite de Flip no MAAU

O músico Chico Pinheiro  protestou contra o “Cidade Linda” em seu Facebook lembrando do trabalho de “Os Gêmeos” e outros artistas e grafiteiros com fama internacional que podem ter seus grafites apagados


Também no Facebook, a equipe do documentário Cidade Cinza” divulgou uma lista com dicas ao prefeito.

5 Conselhos para  João Doria e sua Cidade Linda:
1- Antes de apagar, pergunte-se: Por que será que existem tantos por aí?
2 – Não crie uma curadoria, isso vai te machucar.
3 – Entenda os grafites e as pixações como vozes. Vozes que vem da rua, do povo, e estão ali te dando uma dica sobre o que fazer… Basta ouvir. Ao apagar, você cala o povo.
4 – Se acha a Cidade feia, construa mais parques, plante mais árvores e levante menos muros. Vai ajudar.
5 – Assista ao @cidadecinzafilme // Foram 7 anos filmando o que você está apagando. E Prefeito, #culturanãoseapaga.

A cantora e compositora Zélia Duncan questionou as prioridades da Prefeitura em seu Twitter

Em nota, a Prefeitura afirmou que decidiu pela manutenção dos oito pontos de grafite após análise da Secretaria de Cultura. “Os demais locais estavam deteriorados ou pichados, por isso tiveram que ser apagados”, disse. “Para a Prefeitura de São Paulo, grafites e murais são sempre bem-vindos quando autorizados.” Nesta terça-feira (24) o  Secretário da Cultura, André Sturm, disse para o jornal Estado de S.Paulo que a 23 de Maio ficou “muito cinza” e que ela pode receber Festival do Grafite por causa do “ruído” causado pela remoção.

E você? O que acha dos grafites de São Paulo serem apagados?

Antes e depois da Avenida 23 de Maio

 

 

Fechar X
Sem mais artigos