O nome de Britto Jr. foi parar nos trending topics do Twitter nesta quarta-feira (24) após o ex-apresentador da Record opinar sobre a vida amorosa de Luana Piovani. Ao dizer que a estrela precisava de um ‘homem de verdade’, foi rebatido por internautas e chegou a afirmar que o “preconceito mudou de lado. Nós, héteros, viramos minoria”. Contudo, ser LGBT ainda resulta em pena de morte em diversos países.

Tudo começou na noite da última terça, quando, ao compartilhar uma notícia sobre a separação da estrela com Pedro Scooby, Britto disse: “A bela Luana Piovani que me perdoe, mas ela está precisando de um homem de verdade em sua vida. Eu sei que está cada vez mais difícil, com tantos caras virando maricas. É direito deles, mas mulheres maravilhosas acabam ficando sem parceiros, por falta de héteros no mercado.”

Ao ser criticado, ele afirmou que “a questão é que o preconceito agora parte da nova maioria”:

Ele aproveitou para responder alguns usuários:

Mas o relatório Homofobia Patrocinada pelo Estado 2019, produzido pela Associação Internacional de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Intersexuais (ILGA), mostra que ser parte da comunidade LGBT no mundo ainda é bem assustador.

Afinal, ser homossexual em 71 países é crime e pode resultar em pena de morte na Nigéria, Somália, Sudão, Irã, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Iêmen e Mauritânia.

A orientação sexual também pode acarretar em sentenças que chegam a 20 anos de prisão ou chicotadas, como ocorre na Malásia, e até em prisão perpétua, pena prevista no Catar e em Bangladesh, por exemplo. Outros tipos de sentenças incluem tratamento psiquiátrico (Dominica) e golpes de varas (Irã).

Em Maio, mês em que é comemorado o Dia Nacional de Combate à Homofobia, o Grupo Gay da Bahia (GGB) liberou um relatório parcial que contabilizou 141 mortes causadas por homofobia. Os dados foram coletados de Janeiro a 15 de Maio deste ano.

Foram 126 homicídios e 15 suicídios; 77 gays, 52 travestis/transexuais, 10 lésbicas e 2 heterossexuais, que de acordo com o relatório, foram confundidos com gays. A maior parte das mortes ocorreu dentro da residência, seguida por vias públicas e matagais.

Segundo o relatório, como não há informações estatísticas governamentais sobre tais mortes, os números são subnotificados e podem apresentar uma margem de erro de 5-10%.

Luana Piovani está de férias em Ibiza e ainda não se pronunciou sobre o caso.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos