Tristan Morgan, do Reino Unido, está preso num hospital do Reino Unido por tempo indefinido após atear fogo a uma sinagoga na cidade de Exeter.

De acordo com o promotor, que o descreveu como “alguém com crenças enraizadas no anti-semitismo, ele foi indiciado sob o Mental Health Act, depois de ter sido declarado à corte que ele estava tendo um surto psicótico.

Ele se declarou culpado pelo crime de incêndio, de ter um guia de supremacia branca, e por ter publicado uma música encorajando o terrorismo, chama “White Man” (“Homem Branco”), no seu Soundcloud.

As câmeras de segurança revelam o momento em que Tristan quebra uma janela com um machado e joga um líquido inflamável para dentro do templo. O incidente ocorreu no dia 21 de julho de 2018, na data em que a comunidade judaica dedica para relembrar do Holocausto.

Ao iniciar o incêndio, ele é engolido pelas chamas, que deixaram queimaduras em seus braços e testa. “A filmagem, que foi exibida em corte, mostra o nível de planejamento, determinação, e intenção de Morgan, que outras evidências mostram que uma visão horrenda de extrema-direita, anti-semita, e supremacista,” disse o policial Matt Lawler numa declaração.

Veja imagens feitas por prisioneiros de Auschwitz antes e depois do Holocausto:

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos