Quem quer ficar abraçadinho com um recém-nascido? O hospital da Universidade da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, está procurando voluntários para esta missão a fim de aliviar o estresse de bebês internados.

Segundo o jornal WRAL, os participantes lidarão com crianças que estão sob os cuidados da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). “Muitos dos nossos bebês tendem a ficar internados por um longo período. Se são prematuros, podem ficar por alguns meses”, explicou a médica Marie Ambroise Thigpen.

O ambiente hospitalar pode ser bastante estressante para os bebês, “é claro e barulhento… Temos que fazer exame de sangue neles”, conta Thigpen. E o afeto tem o poder de acalmar os pequenos e até desacelerar o batimento cardíaco deles.

“Diminui a dor, o estresse do recém-nascido e ajuda no processo de cura”, explicou a enfermeira Nicole Ross. “Auxilia também no desenvolvimento cerebral e a diminuir a estadia deles [no hospital].”

O serviço aumenta o bem-estar das crianças, dos voluntários e dos próprios pais. “Saber que ele está em ótimas mãos tem sido maravilhoso, um enorme conforto”, relatou a mamãe Jennifer Majure, que confia o filho de dois meses a uma das voluntária do programa.

Para se candidatar ao posto, é necessário ter no mínimo 21 anos, estar disposto a se comprometer a pelo menos um ano de serviço e já ter experiência de um ano como voluntário em outras áreas de hospital. Os escolhidos serão escalados para trabalharem uma vez por semana, durante quatro horas, e deverão fazer um curso com orientações básicas.

Fechar X
Sem mais artigos