É de se imaginar que uma mãe cega não possa ‘conhecer’ o seu filho antes de nascer, já que ela não pode enxergar as imagens do seu ultrassom. A notícia boa é que uma campanha de Huggies, feita em 2015, permitiu que Tatiana Guerra e outras mães conhecessem seus herdeiros ainda na barriga.

A imagem do ultrassom do rosto do seu filho Eduardo foi reproduzida a partir de impressoras 3D. Assim, a mamãe pôde tocar e sentir as características do feto. “Para toda mãe, sentir cada momento importa”, diz slogan da campanha.

Tatiana tinha deficiência visual desde os 17 anos. Quando Eduardo estava para nascer, ela já tinha 30. A cena da mãe tocando o rosto do filho é emocionante e ela não consegue segurar as lágrimas. Assista abaixo.

Fechar X
Sem mais artigos