Reprodução/Bored Panda

Durante a pandemia do coronavírus, algumas pessoas têm viralizado por cuidarem das outras, mesmo que indiretamente. Lenin Gutierrez, morador de San Diego, na Califórnia, está sendo exaltado após confrontar uma cliente que não usava máscara de proteção. A atitude fez internautas criarem uma vaquinha para o jovem, que já ultrapassa a marca de US$ 50 mil, mais de R$ 273 mil.

O barista trabalha para a famosa rede de cafeterias Starbucks. No dia 22 de Junho, zelando pelo bem de sua equipe e de outros clientes, ele se negou a servir Amber Lynn Gilles por não vestir uma máscara.

Gutierrez contou em um vídeo publicado em seu Facebook que na ocasião estava trabalhando no caixa. Ao ver a mulher entrar sem máscara, perguntou se ela tinha uma e Gilles respondeu: “não, eu não preciso de uma”.

Antes mesmo de explicar as novas diretrizes da cafeteria diante da pandemia, o que inclui o uso obrigatório de máscaras dentro das lojas, Gutierrez relata que Gilles começou a chamar as pessoas de “maria vai com as outras”, ou influenciáveis por usarem os itens de segurança. Ela então teria saído e retornado após alguns minutos, perguntando o nome do atendente, tirando uma foto dele e xingando as outras pessoas presentes.

Gilles, que se descreve como instrutora de yoga, tentou “expor” o funcionário no Facebook. Em uma publicação já apagada, ela escreveu: “conheçam Lenin da Starbucks que se recusou a me servir porque eu não estou usando uma máscara. Da próxima vez, eu vou esperar pela polícia e mostrar minha dispensa médica”. No entanto, não explicou por que  possui uma dispensa.

Reprodução/GoFundMe

A tentativa de constrangê-lo teve o efeito contrário. Internautas defenderam a atitude de Gutierrez e não só isso. Um deles, Matt Cowan, criou uma vaquinha na página GoFundMe para “presentear” o jovem.

A campanha começou com uma meta de US$ 1 mil (cerca de R$ 5.480) e atualmente ultrapassou a marca dos US$ 50 mil, mais de R$ 273 mil.

O jovem contou que o dinheiro o ajudará a continuar dando aulas de danças para crianças e a buscar uma carreira como bailarino.

Fechar X
Sem mais artigos