Aos 23 anos, a indiana Anmol Rodrigous tem inspirado mulheres em seu país por ajudar outras pessoas que, assim como ela, foram atacadas com ácido.

Aos dois meses de idade, seu pai jogou ácido nela e na mãe porque queria se livrar das duas por ter tido uma filha. A mãe morreu e Anmol passou cinco anos vivendo em um hospital por causa do tratamento.

Ela cresceu em um orfanato e hoje, trabalha e vive em Mumbai. “Amo minha vida como é. Nunca me senti diferente. Imagino que seja porque nunca me vi diferente. Sempre me vi com um olho e queimaduras na pele. Eu me aceitei e sou confiante para viver minha vida”, disse em entrevista ao site inglês Metro.

Anmol contou ainda que sempre teve muitos amigos no orfanato em que cresceu, mas que na faculdade foi mais difícil. “Ninguém falava comigo, eu estava sempre sozinha. As outras meninas me encaravam, mas não conversavam”.

Sua ONG já ajudou mais de 20 mulheres que também foram atacadas com ácido. Ela angaria fundos para prover tratamentos médicos ou até organizar o casamento de uma delas.

“Espero que eu inspire outras mulheres como eu a não cobrirem seus rostos. Mas que elas sejam mais confiantes. Ácido pode mudar seu rosto, mas não destrói sua alma”, completa a jovem.

Fechar X