Arinda Storm Weaver possui longas unhas naturais. Em uma época em que unhas compridas de acrílico estão em alta nas redes sociais, o look da estadunidense de Columbus, Ohio, poderia parecer comum. Só que não é.

Arinda chama a atenção pois cultiva as unhas das mãos e dos pés. Ela contou ao jornal Metro UK que já não mede mais o comprimento, corta o mínimo possível, mas para se ter ideia, a extensão das unhas dos pés não a permite calçar sapatos fechados ou saltos. “Elas me fazem andar devagar e não posso correr”, explicou.

A senhora de 58 anos tornou esta característica em um negócio, afinal, na internet tem quem curta fotos de pés, e tem quem curta fotos de pés com unhas longas: “a comunidade que gosta de unhas compridas é uma seção muito distinta da comunidade dos podólatras”.

Reprodução/Instagram/@arindastormweaver

Entusiasta de unhas longas, Arinda costumava deixá-las em um comprimento com o qual pudesse realizar as atividades do dia a dia sem dificuldades. Isso mudou ao criar um blog na plataforma MySpace, em 2006, para falar sobre sua luta contra o câncer de mama. Muitos usuários a abordavam só para comentar sobre suas unhas e, assim, ela descobriu que se trava de um fetiche – e que poderia fazer dinheiro com ele.

Arinda largou o emprego como especialista de conta em 2008 e passou a deixar as unhas crescerem para vender vídeos de suas mãos e seus pés.

Reprodução/Instagram/@arindastormweaver

“Minhas unhas dos pés são mais raras e mais populares do que as das mãos”, contou.

Um vídeo de 10 minutos mostrando Arinda batendo as unhas dos pés no chão chega a custar US$ 14.39, aproximadamente R$ 60. Alguns fãs pedem gravações customizadas ou vídeo chamadas focadas nas unhas.

A profissional toma cuidado com sua ferramenta de trabalho. Ela costuma passar uma camada de acrílico nas unhas. Se uma delas quebra, Arinda tenta recolocá-la. Mas se não for possível a saída é cortar todas para que fiquem do mesmo tamanho.

Fechar X
Sem mais artigos