As pessoas ainda se entreolham com espanto e desgosto quando ouvem uma mulher recusar o sonho da maternidade. É como se ela rejeitasse a própria natureza, seu grande e único objetivo na vida. Como alguém seria capaz de tamanha crueldade? Por sorte, caminhamos para uma sociedade com mais abertura e alternativas para as mulheres, ainda bem. Isso quer dizer que nem todas serão mães, simplesmente. Essas pessoas se realizarão de outras formas, igualmente recompensadoras. Liberdade é uma coisa muito linda, né?

Por enquanto, porém, elas ainda escutam uns absurdos por aí. O estereótipo da mãe que não tem filhos é tão prejudicial quanto o da mãe perfeita, que abre mão da própria vida para cuidar dos filhos. Isso não faz bem para nenhum dos lados, né? Veja algumas das principais mentiras que contam sobre mães que não querem ter filhos:

1 – Elas odeiam crianças

Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Mulheres que não desejam ser mães podem ser as tias ou madrinhas mais incríveis do mundo, completamente apaixonadas pela “cria alheia”. Gostar de criança, porém, não é o mesmo que desejar uma para sim. As responsabilidades que envolvem essa decisão vão muito além do simples gostar ou desgostar dos pequenos. Aliás, nem todos aqueles que têm filhos realmente gostam de crianças, né? Essa generalização é cruel e sem sentido.

2 – Elas são extremamente egoístas

Sabemos de cor o velho e bom clichê da maternidade, que sempre é atribuído às mulheres. Toda mulher, portanto, nasce com a obrigação de abdicar dos próprios desejos, anseios e sonhos para gerar uma criança, porque essa é a nossa obrigação no mundo. Ao negar o mito da maternidade, porém, a geração que recusa filhos próprios é tida como egoísta e mimada. Ué! Ter um filho, ainda que com a pessoa errada, só para chamá-lo de seu é o quê? Altruísmo? Não, né, gente.

3 – Elas será solitárias

Filho não é garantia de companhia para a vida inteira, muito pelo contrário. Eles também têm o próprio caminho para seguir. Quem cultiva amizades verdadeiras e um bom relacionamento com a família nunca está sozinho, essa é a real. Aliás, optar pela gravidez em momentos de crise e solidão é, na verdade, a pior decisão de todos os tempos. Antes de assumir esse compromisso, é preciso apreciar a própria companhia.

4 – Elas vão se arrepender e mudar de ideia

Isso não é exclusividade de mulheres que rejeitam a maternidade. Algumas poderão se arrepender, enquanto outras terão certeza de que fizeram a melhor escolha de suas vidas. O mesmo vale para mães. Quem disse que elas também não se arrependem da decisão? É ingênuo acreditar que todas as mulheres, absolutamente todas, se veem realizadas com a maternidade. Não é assim que acontece n a vida real.

5 – Elas não têm coração

Pessoas que querem ter filhos são endeusadas, como se este fosse o maior ato de bondade de todos os tempos. Por outro lado, aqueles que decidem seguir por uma estrada diferente são tidos como monstros egoístas sem coração. Existe vida além da maternidade, gente. Não é isso que torna uma pessoa boa ou má, definitivamente. Existem bons pais, maus pais e por aí vai. Se você julga e menospreza quem pensa diferente no quesito “filhos”, talvez o monstro sem coração esteja aí dentro, na verdade. Repense!

Fechar X
Sem mais artigos