Pela primeira vez em muitos anos, as resoluções de ano novo de Molly Galbraith não incluíram nenhuma promessa de emagrecer, ir mais vezes à academia ou cortar o açúcar da dieta, definitivamente. A vida da co-fundadora e proprietária do site fitness Girl Gone Strong sempre se guiou por esse universo de calorias, carboidratos, proteínas e medidas corporais, fugindo de excessos e deslizes.

Foi por isso que, no dia primeiro de janeiro, Molly resolveu postar uma foto bem simbólica para celebrar o começo de 2016, falando sobre algo que ela nunca tinha sentido, até então: liberdade,

“Hoje, sei como é ter corpo celebrado pela única pessoa que realmente interessa: eu mesma”

A postagem da atleta no Facebook tem menos de duas semanas e já conquistou mais 115 mil likes, quase 10 mil comentários e 17 mil compartilhamentos. Sem medo de ser feliz, Molly aparece de biquíni, super à vontade com o próprio corpo. É exatamente isso que ela tenta passar no post: aceitação e amor próprio, porque qualquer pessoa pode ter um “corpo de praia”, independentemente do seu formato.

Molly Galbraith, pela primeira vez, desistiu daquelas promessas de emagrecer típicas de ano novo. “Nunca senti algo tão libertador”

“Esse é o meu corpo. Não é um antes e depois. É assim que meu corpo fica numa terça-feira qualquer de dezembro – é uma foto da vida. Esse é um corpo que ama proteínas, vegetais, queijo e sorvete. É um corpo que ama diversos exercícios, mas que também ama dormir. É um corpo que já passou por abusos devido a fast food, noites mal dormidas e estresse”, explicou Molly.

Ela continua e afirma que esse mesmo corpo, com todas suas vantagens e desvantagens, poderia ser chamado de gordo demais, magro demais, masculino demais, forte demais, fraco demais… Todos os preconceitos que a gente já tá cansado de ouvir, principalmente em relação às mulheres.

“Algumas pessoas me disseram que se matariam para ter esse corpo. Gastei muito tempo e energia nele, para que hoje ele fosse amado, respeitado e celebrado pela única pessoa que realmente importa nessa história toda: eu mesma. Esse é um tipo de liberdade que eu nunca tinha sentido antes, e é muito bom”, concluiu Molly, inspirando outras mulheres que ainda se veem presas a estereótipos e julgamentos sem sentido.

Em entrevista ao Huffington Post, a moça explicou que seu objetivo com a publicação era motivar suas seguidoras, mostrando que não é preciso sucumbir aos padrões de beleza e que confiança e autoestima nunca devem ser encarados como algo errado ou prepotente. Inspiração bonita para esse novo ano, né?

Sem mais artigos