Nos últimos dias, não há uma pessoa no Brasil que não tenha visto nas redes sociais o rosto de um amigo falsamente envelhecido. A montagem é feita com o aplicativo FaceApp, criado e administrado por uma empresa russa chamada Wireless Lab.

Após descobrir esta informação, o senador norte-americano Chuck Schumer, do partido democrata, contrário ao do presidente Donald Trump, enviou carta ao FBI e a Federal Trade Commission pedindo a investigação da empresa.

Segundo o site Daily Mail, a preocupação é com os dados dos usuários, já que ao ser baixado o aplicativo passa a ter acesso às imagens e dados. “É muito preocupante dar acesso a tanta informação pessoal e sensível a uma empresa estrangeira de um país que tem tido episódios de ataques cibernéticos contra os Estados Unidos”, diz a carta.

Especialistas também alertaram que, após conferido o acesso, o aplicativo, criado em 2017, tem caminho permanente às fotos do aparelho. “A preocupação está em uma cláusula questionável do FaceApp em poder acessar, armazenar e usar imagens da câmera sem prévia permissão. Em uma era de tecnologia de reconhecimento facial, é essencial que as informações dos usuários estejam seguras”, continua o documento.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos