Um ataque feito por cerca de 300 jovens encapuzados contra jogadores do Wydad, de Casablanca, durante um treino, chocou o meio futebolístico local, preocupado pelos crescentes atos de violência.

O ataque aconteceu na tarde de quinta-feira, mas os detalhes concretos foram revelados posteriormente. Fontes do clube disseram à Agência Efe que os jovens, com a cabeça coberta, invadiram o treino pulando os muros do clube, armados com facas e espadas, e começaram a bater nos jogadores e no treinador.

Os agressores, supostamente torcedores do próprio clube insatisfeitos com sua gestão, entraram nos vestiários e roubaram relógios e celulares dos jogadores, e picharam o ônibus e os carros dos atletas com frases como “Saia” ou “Devolvam o clube”.

O técnico e três jogadores precisaram de atendimento médico em um hospital. O clube pediu a suspensão da partida marcada para hoje contra o Olympique de Safi, mas o time adversário se negou, e o duelo foi confirmado.

O assunto é um dos mais debatidos pela imprensa do país neste sábado, e o jornal Asabah informou que cinco acusados de terem participado da agressão, inédita no futebol marroquino, foram detidos.

Fechar X
Sem mais artigos