Felipe Garcia do Carmo ganhou prêmio em concurso de fisiculturismo em São Paulo (Crédito: Anthony Bueno)

Felipe Garcia do Carmo ganhou prêmio em concurso de fisiculturismo em São Paulo (Crédito: Anthony Bueno)

É possível imaginar que há fisiculturistas, daqueles gigantes no melhor estilo Arnold Schwarzenegger, Ronnie Coleman e Flex Wheeler, veganos?  O que parecia impossível nos últimos anos, começa a virar uma realidade nas principais competições esportivas nacionais e até internacionais. Uma prova dessa crescente no esporte é o atleta vegano Felipe Garcia do Carmo, que venceu o II Campeonato de Fitness e Musculação na categoria Class 1 (acima de 1.79m), realizado na cidade de Mairinque, no interior de São Paulo.

Destaque entre os oito participantes que concorriam ao prêmio, o campeão Felipe, que treina cinco vezes por semana, conta o segredo de conciliar uma alimentação sem proteínas animais e, mesmo assim, superar competidores não-veganos em volume muscular, simetria, proporção e definição.

Fechar X

“Foi uma jornada intensa, com quatro meses de dieta extremamente calculada, ingerindo sete refeições por dia. Foram usados alimentos bem simples na dieta para o torneio, pois gosto de ter coisas leves e saudáveis, como lentilha, arroz integral, aveia, pasta de amendoim integral, legumes e verduras variados, como brócolis e couve. Sem contar que também tomava alguns shakes de proteínas isoladas, que ajudam muito, feitos por uma empresa especializada, a Vegan Way”, disse o competidor, que junto a alimentação com 45 minutos diários de treino com pesos e 20 minutos de esteira ou bicicleta. “Minha maior motivação durante a preparação para o torneio foi, acima de tudo, mostrar a todos do Brasil que há um atleta vegano no país capaz de possuir as mesmas características em performance esportiva que um atleta onívoro. Quebrei um mito e espero seguir assim”, completou.

Felipe Garcia do Carmo ganhou prêmio em concurso de fisiculturismo em São Paulo (Crédito: Anthony Bueno)

Felipe Garcia do Carmo ganhou prêmio em concurso de fisiculturismo em São Paulo (Crédito: Anthony Bueno)

Felipe Garcia não é o único a apostar na alimentação especial como estilo de vida e também como incentivo esportivo. Paulo Victor Pinheiro, o Paru, que ficou em quarto lugar na competição conquistada por Felipe, é outro fisiculturista adepto ao veganismo.

Felipe Garcia do Carmo ao lado de Paulo Victor Pinheiro,  ambos atletas veganos

Felipe Garcia do Carmo ao lado de Paulo Victor Pinheiro, ambos atletas veganos

Fã de musculação e fisiculturismo, Felipe começou a treinar quando tinha 19 anos de idade e ainda era onívoro. Formado em Educação Física, o atleta passou a dar aula como personal trainer e, anos depois, se especializou com o bacharelado na área. Nesta época, Felipe chegava a consumir 1kg de peito de frango por dia, fora os suplementos à base de leite animal. Quase dez anos depois do início dos treino, o atleta, atualmente com 29 anos e pai de duas meninas, estava vasculhando algumas fotos em uma rede social, até encontrar uma imagem de uma cadela que seria sacrificada. Após uma reflexão, ele resolveu não comer mais carne e desde então sua vida mudou radicalmente. Pouco tempo após virar ovolacto vegetariano, ele partiu para o veganismo e aproveitou para passar o estilo de vida aos seu familiares, incluindo sua esposa Joyce Pedroso.

“As únicas em casa que não são veganas são nossas duas filhas, mas tudo se encaminha para que elas se tornem um dia. É uma vida normal, a única diferença é que substituímos tudo aqui em casa por opções que na sua composição não haja nada de origem animal. Nem nos alimentos e nem em produtos de higiente, eoupas e sapatos, inclusive, com uma marca especial, a Eco Vegan’s”, disse a esposa de Felipe, que participou do vídeo em família feito pelo atleta após a conquista do título do II Campeonato de Fitness e Musculação (assista abaixo).

Veganismo no mundo do esporte

Não é apenas no fisiculturismo que o veganismo está em alta. Carl Lewis, por exemplo, é um dos atletas veganos mais conhecidos no mundo do atletismo. Dono de 10 medalhas olímpicas, o esportista é vegano desde 1990 e foi um dos primeiros competidores a apresentar ao mundo a possibilidade de se obter ótimos resultados não consumindo nenhum produto de origem animal.

Jim Morris, fisiculturista norte-americano, Jack Linquvist, no ciclismo, Keith Holmes, no boxe, Fiona Oakes, nas maratonista, Patrick J. Neshek no baseball, Georges Laraque no hockey de gelo, Brendan Brazier no triathlon e  as irmãs Venus e Serena Williams, no tênis, são apenas alguns exemplos de veganos bem sucedidos no esporte.

Serena Williams e Venus Williams são veganas

Serena Williams e Venus Williams são veganas

Fechar X
Sem mais artigos