O chefe da Fórmula 1, o britânico Bernie Ecclestone, saiu em defesa do piloto alemão Sebastian Vettel, que não obedeceu as ordens da Red Bull no Grande Prêmio da Malásia, no último domingo, e ultrapassou o companheiro de equipe, o australiano Mark Webber, para vencer a corrida.

“Se eu fosse Sebastian Vettel, tendo conquistado três títulos mundiais para a equipe e alguém aparecesse no rádio e começasse a me dar instruções, eu provavelmente faria exatamente o mesmo que Kimi Raikkonen fez quando voltou e deram instruções a ele. Eu diria: ‘Eu sei o que eu estou fazendo’, declarou Ecclestone ao canal Sky Sports.

“Eu sempre digo: mostre-me um bom perdedor e eu lhes mostrarei um perdedor. Sebastian não é um perdedor. Sebastian é um vencedor”, acrescentou.

Durante o GP em Sepang, a Red Bull pediu para que Vettel, então segundo colocado, e Webber, que liderava, diminuíssem o ritmo a fim de economizar pneu e combustível. O alemão, porém, partiu para cima do companheiro de equipe, fez a ultrapassagem e venceu a prova.

Na última segunda-feira, o ex-piloto norte-irlandês John Watson afirmou que o tricampeão mundial deveria ser suspenso pela escuderia austríaca por uma corrida, opinião à qual o chefe da F-1 é totalmente contrário.

“Não acho que faria qualquer coisa desse tipo. Eu diria a Sebastian: ‘No futuro, não me faça parecer um idiota. Mas para a Red Bull não importa quem vença. Eles querem vencer o campeonato. Para eles, que diferença isso faz?”, questionou.

Fechar X
Sem mais artigos