O chefe da Fórmula 1, o britânico Bernie Ecclestone, saiu em defesa dos pneus da Pirelli, que vêm recebendo duras críticas de algumas equipes, e afirmou que a pouca durabilidade de alguns compostos é proposital para que algumas corridas sejam decididas na estratégia.

“Mais fácil para a Pirelli seria fabricar pneus que sejam colocados na primeira corrida da temporada e retirados na última. Seria muito fácil, mas eu lhes pedi alguns que não completassem 50% de uma corrida, e foi o que fizeram”, justificou Ecclestone ao site oficial da Fórmula 1.

O britânico lembrou que nos tempos do ex-piloto austríaco Niki Lauda, tricampeão nas décadas de 1970 e 1980, a maior preocupação era cuidar da caixa de câmbio e dos freios e não dos pneus.

“Depois superamos aquilo, e os pilotos não tinham que pensar em nada. Agora têm que usar seu cérebro e começar a pensar em como ganhar corridas”, alfinetou.

Dirigente da equipe Mercedes, Lauda considera que os compostos da Pirelli não beneficiam a categoria ao serem necessárias mais de três pit stops para completar uma corrida. “Se é preciso fazer quatro paradas e alguns pneus só duram quatro voltas, não estamos na direção correta”, opinou o ex-piloto austríaco.

Fechar X
Sem mais artigos