Com uma atuação impecável, sobretudo na linha de frente, o Real Madrid atropelou o Schalke 04 em plena Veltins Arena e se aproximou das quartas de final da Liga dos Campeões ao vencer o jogo de ida contra a equipe alemã por 6 a 1.

Passivos e abaixo da crítica, os donos da casa foram espectadores de luxo de uma das melhores atuações de qualquer time em 2014 em todo o mundo. O Real colocou o adversário na roda e construiu o resultado com dois gols de Benzema, dois de Bale e dois de Cristiano Ronaldo, coroando a grande fase vivida pelo trio de ataque.

Nos minutos finais, Huntelaar fez o de honra da equipe anfitriã e derrubou uma invencibilidade recorde de 952 minutos do goleiro Casillas.

De quebra, o Real deixou para trás um incômodo jejum, já que não saía de campo vitorioso na Alemanha desde 2000. A última vez que havia vencido no país fora em 27 de setembro desse ano, batendo o Bayer Leverkusen por 3 a 2, pela fase de grupos da Champions. O ex-lateral Roberto Carlos foi fundamental para o resultado positivo naquele jogo, marcando dois gols.

Só um milagre classificará o time de Gelsenkirchen, que vinha de uma sequência de cinco vitórias no ano, para a próxima fase. O Schalke precisará de uma goleada por 5 a 0 ou por uma diferença ainda maior no estádio Santiago Bernabéu, em Madri, em 18 de março.

Recuperado de lesão muscular, o jovem meia Draxler, principal jogador do Schalke, esteve em campo. Por outro lado, o lateral-direito Uchida foi vetado, e Jens Keller deslocou o zagueiro Höwedes para a posição.

No Real, Carlo Ancelotti optou por uma formação mais ofensiva, com Di María, e não Illarramendi, compondo o meio de campo com Xabi Alonso e Modric. Na lateral direita, quem jogou foi Carvajal, e não Arbeloa.

Com o time visitante melhor desde o começo, o gol não tardou. Bale iniciou a jogada com uma arrancada em diagonal e passou para Cristiano Ronaldo. O atacante português tocou de letra, e a bola passou por baixo das pernas de Felipe Santana antes de chegar a Benzema, que dentro da área bateu forte para abrir o placar aos 13 minutos.

O Schalke mal deu a saída de bola e quase chegou ao empate. Após cruzamento, a zaga do Real falhou, Draxler escorou e o goleiro Casillas espalmou para o meio da área à queima-roupa. No rebote, Meyer, de frente para o gol e na risca da pequena área, isolou.

Como quem não faz, leva, o castigo não demorou a chegar. Mais precisamente sete minutos, quando Bale, inspirado, fez um carnaval antecipado na defesa do time alemão. O agora ex-jogador mais caro do mundo colou a bola no pé, passou por Felipe Santana e Kolasinac e mandou um disparo da entrada da área para fazer 2 a 0.

O segundo gol abateu o time da casa, que se tornou praticamente espectador do duelo por alguns minutos. O Real continuou em cima e por pouco não marcou o terceiro aos 31. Cristiano tirou a marcação pela direita da área e arrematou colocado, carimbando a trave direita.

Marcado apenas de longe, Di María tinha espaço para criar e descolou ótimo passe para o camisa 7, que desceu pela esquerda e bateu em cima de Fährmann, aos 36 minutos.

Ainda antes do intervalo, a equipe espanhola teve duas boas oportunidades de aumentar, mas errou na finalização nas duas. Aos 43, Benzema aproveitou cruzamento de Marcelo, se esticou todo e mandou para fora. Aos 45, o francês serviu Cristiano, que também facilitou o trabalho do goleiro.

Logo com um minuto na etapa final, Boateng passou a falsa impressão de que o Schalke reagiria, acertando um bom chute de fora da área, que parou em bela intervenção de Casillas.

Ledo engano. O massacre continuou, e o Real chegou ao terceiro aos sete minutos. Bastante efetivo, Bale descolou mais um bom passe, desta vez para Cristiano Ronaldo, que pedalou para cima de Matip e arrematou de pé esquerdo.

Nem bem comemoraram o terceiro e os comandados de Carlo Ancelotti transformaram o placar em goleada conseguindo o quarto, que foi uma pintura. Cristiano e Benzema trocaram passes, o português adiantou de calcanhar e o centroavante tocou por baixo do goleiro, aos 12 minutos.

O duelo então se tornou um treino de luxo para o time espanhol, que, mesmo com o pé no freio, fez 5 a 0 aos 24. Após confusão no meio de campo, Sergio Ramos controlou e lançou Bale em profundidade. O galês ajeitou e bateu no canto direito, tirando de Fährmann.

As duas equipes então apenas esperavam o apito final. Vendido em campo, o Schalke praticamente suplicava por isso. A equipe alemã escapou de sofrer o sexto aos 34 minutos, quando Cristiano foi lançado pelo meio e ganhou no corpo, mas finalizou em cima do goleiro.

Mas o Bola de Ouro da Fifa não costuma falhar duas vezes. Aos 44, a defesa deu bobeira, Benzema ficou com a bola e serviu o camisa 7, que driblou o goleiro e tocou para o fundo da rede.

Ainda houve tempo para o gol de honra do Schalke. E que golaço. Aos 45, depois de lançamento na entrada da área, Huntelaar emendou de primeira, sem deixar a bola cair, e acertou o ângulo esquerdo de Casillas, carimbando a rede de sua ex-equipe.

Veja os resultados dos jogos de ida da Liga dos Campeões 2013/2014:

Terça-feira (18/02):
Bayer Leverkusen (ALE) 0 x 4 Paris Saint Germain (FRA)
Manchester City (ING) 0 x 2 Barcelona (ESP)

Quarta-feira (19/02):
Arsenal (ING) 0 x 2 Bayern de Munique (ALE)
Milan (ITA) 0 x 1 Atlético de Madrid (ESP)

Terça-feira (25/02):
Zenit São Petersburgo (RUS) 2 x 4 Borussia Dortmund (ALE)
Olympiacos (GRE) 2 x 0 Manchester United (ING)

Quarta-feira (26/02):
Galatasaray (TUR) 1 x 1 Chelsea (ING)
Schalke 04 (ALE) 1 x 6 Real Madrid (ESP)

Fechar X
Sem mais artigos