Na tarde desta segunda-feira (22), ambas as contas oficiais no Twitter da Fifa e de seu presidente, Joseph Blatter, foram hackeadas pela Syrian Electronic Army, ou Exército Eletrônico Sírio, em tradução livre.

Nos tuítes, há várias mensagens acusando corrupção por parte da identidade e do cartola suíço para favorecer a escolha do Qatar como sede da Copa do Mundo de 2022.

ALém disso, é dado um suposto esquema para que a Jordânia sedie a Copa de 2030, com seu atual príncipe sendo o sucessor de Blatter

Abaixo estão os tuítes no perfil da Fifa:

“E daí que ganhei dinheiro do príncipe do Qatar? Sou o ganhador dos prêmios da família.”

“Os executivos da Fifa realizaram uma reunião sobre a decisão de sediar a Copa do Mundo de 2022 no Qatar. Ficou decidido que o presidente Sepp Blatter sairá do cargo devido a acusações de corrupção. Ele está sendo investigado por múltiplas acusações de suborno”.

“Foi descoberto que o emir do Qatar depositou € 1,5 milhão em uma conta anônima na Suíça. Isso foi dias antes de a decisão da Copa no Qatar ser acertada.”

“E-mails entre o ministro do exterior do Qatar e o Sr. Blatter foram encontrados por sua base política.”

“A decisão para desclassificar a Síria com base técnica teve cunho político”.

Nesta parte, posts no Twitter de Blatter:

“Sua Excelência, o emir do Qatar, foi a pessoa mais generosa que já conheci. Não peço desculpas pela minha decisão. Fiz o melhor para a Fifa. Por mais de quinze anos eu trabalhei para essa organização. Recomendei Sua Excelência, o príncipe Ali Bin Al Hussein da Jordânia, como o meu sucessor. A família real (jordaniana) fez muito pela Fifa. Tenho certeza que a Jordânia será uma excelente sede para 2030.”

No final dos posts em ambos os perfis, a Syrian Electronic Army assume a invasão, e chega a postar hashtags escritas: “suborno”, “assassinato”, “roubo” e “Qatar”.

 

Fechar X
Sem mais artigos