Se tinha muita gente pensando que argelinos são melhores que camaroneses, ganeses e nigerianos também fora de campo, que a opinião fique somente dentro das quatro linhas. Um boato disseminado na internet dizia que os jogadores da seleção doariam os US$ 9 milhões (quase R$ 20 milhões) que ganharam da Fifa por terem chegado nas oitavas de final para os refugiados da Faixa de Gaza, na Palestina. Mas é tudo mentira, caô, balela, lorota, conversa pra boi dormir, milho, palha, xaveco.

O site boato.com esmiuçou o caso, procurando suas origens. O negócio é que um jornalista desempregado, o argelino Waleed Abu Nada, usou o Twitter para dar a “notícia”, provavelmente se pautando em um perfil falso do atacante Islam Slimani, autor do gol que classificou os africanos na última partida da primeira fase da Copa do Mundo, contra a Rússia, no dia 26 passado.

Muito portais e sites divulgaram que Slimani dissera que “Eles (refugiados) precisam mais do que nós)”, mas tal frase foi escrita neste perfil falso de Facebook.

A mentira da doação argelina destoava ainda mais – além de ser uma bela ação – pois problemas financeiros rondaram as seleções do mesmo continente. Camarões, Gana e Nigéria tiveram seus jogadores exigindo pagamentos maiores, dinheiro-vivo e coisa e tal, se não, não jogariam o Mundial. E isso sim foi verdade.

Fonte: boato.com

Fechar X
Sem mais artigos