Uma das principais revelações do futebol brasileiro, Paulo Henrique Ganso explicou a polêmica que se envolveu quando disse “ainda bem que não tem homossexual no Santos” em entrevista à revista Playboy de julho.

“Eu falei “ainda bem” porque pode se tornar um pouco chato até para o próprio homossexual presente, mas eu não tenho problema nenhum com isso. Se enfrentei, não sei. Mas, se souber, vou enfrentar de uma forma normal, sem desavença, sem nada, tratando como um adversário que é um companheiro de trabalho”, disse o atleta.

Perguntado sobre se também é alvo dos gays nas cantadas, Ganso admitiu que sim, mas preferiu deixar o caso escondido. “Já… Melhor não falar, não, mas já levei”, completou.

Mas não são apenas os homossexuais que gostam do meia do Santos. Segundo o atleta, as mais ousadas já se arriscaram até a tirar sua roupa.

“Já, uma vez, no lançamento da nossa linha de bonecos. Foi em um shopping center, e a gente saiu quase sem roupa. A mulherada avança mesmo”, afirmou.

Além de falar sobre o assédio, Ganso disse como é sua relação com Neymar e garantiu que a amizade com o atacante não atrapalha na religião.

“Dá, claro (para ser evangélico e sair com Neymar). O Neymar também é evangélico. Você tem de saber os momentos certos para aproveitar e curtir e saber os momentos em que você está na presença de Deus”, finalizou.

Sem mais artigos