Um novo caso de escalado familiar envolvendo um atleta da NFL ganhou destaque nas manchetes policiais. Após Ray Rice ser demitido do Baltimore Rivers por ser flagrado agredindo sua esposa, agora foi a vez de Adrian Peterson ser afastado do Minnesota Vikings por suspeitas de agressão contra seu próprio filho, de apenas quatro anos de idade. O running back de 29 anos foi indiciado em Houston, no Texas, chegando a ser preso na última semana, mas liberado em seguida com o pagamento de fiança.

Afastado de todas as atividades de sua equipe na NFL, Peterson sequer entrou em campo na derrota do seu time para o New England Patriots, no último domingo (14), por 30 a 7, pela segunda semana da temporda regular do futebol americano.

A agressão de Peterson aconteceu em maio deste ano e, se for considerado culpado, o running back pode pegar até dois anos de cadeia. A mãe da criança, que não é casada e nem vive com o jogador, notou os hematomas no corpo da criança e a levou ao médico. Todos os machucados no corpo do menino foram feitos com um galho de árvore (veja na foto abaixo).


O garoto ficou com marcas no corpo todo (Reprodução/Houston Police Department)

Os investigadores que acompanham o caso questionaram Peterson sobre o episódio. Segundo o divulgado pela imprensa, o jogador classificou a agressão como uma “surra dentro da normalidade” e contou que bateu em seu filho depois que o menino empurrou um amigo para fora da pista enquanto disputava uma corrida em um jogo eletrônico de motocicletas. Fotos do garoto de 4 anos que foram tiradas pelo Departamento de Polícia de Houston foram parar nas redes sociais e mostram as escoriações sofridas pela criança.

O mais curioso de toda a situação é que, no fim do ano passado, o outro filho de Peterson morreu após sofrer ferimentos graves em um espancamento cometido pelo namorada da ex-mulher do jogador. Na oportunidade, contudo, o running back recebeu apoio de torcedores e colegas da NFL.

Fechar X
Sem mais artigos