Segundo cálculos de duas companhias aéreas públicas da África do Sul, as malas de mais de 75 mil visitantes podem ser roubadas durante a Copa do Mundo de Futebol de 2010, que será realizada entre os dias 11 de junho e 11 de julho deste ano, quando se espera que aproximadamente 450 mil torcedores estrangeiros viajem ao país.

O presidente da South African Airways (SAA), Siza Mzimela, emitiu um relatório ao Parlamento dizendo que os aeroportos têm dificuldades para controlar as bagagens, que são roubadas antes de passarem do avião até a esteira que as transporta aos passageiros.

Chris Smyth, ex-diretor da SAA, participou da elaboração do relatório e disse aos parlamentares que, atualmente, duas em cada mil malas desaparecem, “o que indica uma média bem mais elevada que a dos aeroportos do resto do mundo”.

Segundo Smyth, aproximadamente 25% dos funcionários encarregados de transportar bagagens dentro dos aeroportos “não são honestos”, outro 25% são e os 50% restantes estão em uma situação intermediária e “sujeitos a serem corrompidos”.

Além disso, Mzimela comunicou aos parlamentares que outra companhia pública de voos regionais, a SA Express, tem de renovar o corpo de funcionários que transportam malas a cada seis meses, “porque com quatro ou cinco meses já se transformaram em delinquentes e se tornam parte do problema”.

Fechar X
Sem mais artigos