Sabe o que é bromance? A brincadeira entre as palavras ‘brother’ (irmão, mas que aqui se encaixa como ‘muito amigo’) e ‘romance’ (que em inglês é igual à nossa versão) também acontece no mundo do futebol. O site Bleacher Report publicou nesta sexta-feira (15) os dez melhores casos do “fenômeno”, listando a proximidade entre Ronaldinho Gaúcho e Lionel Messi entre os maiores.

A ideia é brincar com a proximidade que atletas têm e não coloca em evidência nenhuma outra questão, até porque o que eles fazem fora de campo é só problema deles, não é mesmo? E por isso também resolvemos reproduzir aqui a matéria divulgada nesta sexta-feira (15).

O gancho para a história foi a declaração de amor, literalmente, que Cristiano Ronaldo fez ao seu colega de Real Madrid, Gareth Bale, logo após a conquista da Supercopa da Europa, na última terça-feira (11): “Sou muito feliz por poder jogar com ele. Ele me entende, eu o entendo e ele me dá passes fantásticos. Eu o amo”.

Se o português pode ter abusado do bom-humor para falar do companheiro de time, foi a fagulha perfeita para que se falasse de outras histórias parecidas.

Veja abaixo os outros nove bromances favoritos:

Lukas Podolski <3 Bastian Scheinsteiger: Eles não têm medo de mostrar sentimento um pelo outro nas redes sociais, ainda mais durante a Copa do Mundo, onde até “quase selinho” rolou.

Carles Puyol <3 Gerard Piqué: Quando Puyol disse que se aposentaria, ninguém ficou mais triste do que o marido de Shakira, que publicou uma carta-aberta ao ex-companheiro de Barcelona e seleção espanhola chamando-o de “meu anjo da guarda”. Outro trecho soava ainda mais melodramático: “Do seu lado eu me sentia protegido e eu sabia que no dia em que eu cometesse um erro você estaria lá para me salvar.”

Sergio Ramos <3 Iker Casillas: Outro caso espanhol, mas agora do lado do Real Madrid, eles sempre estiveram próximos dentro e fora de campo. Os dois foram pegos trocando beijos antes de um jogo da Espanha (assista abaixo).

Patrice Evra <3 Ji-Sung Park: O francês e o coreano, quando se conheceram, estavam em lados opostos – o primeiro no Monaco e, o outro, no PSV Eindhoven. Porém, quando se encontraram no Manchester United, a amizade floresceu. Evra até tentou aprender coreano para falar com o parça.

José Mourinho <3 Didier Drogba: Além de escrever o prefácio da autobiografia de Drogba, Mourinho nunca escondeu que o marfinense é um de seus jogadores favoritos e que ele “fará parte da minha vida para sempre”. O técnico facilitou muito o retorno do atacante ao Chelsea, dando pouca importância ao fato de que o atleta já esteja nos 36 anos de idade.

José Mourinho <3 Marco Materazzi: Logo após a conquista da Liga dos Campeões 2009/2010 com a Internazionale, Mou e o zagueirão tiveram um dos momentos mais marcantes do futebol nos últimos anos. O técnico, dando adeus ao clube, abraçou e chorou junto com Materazzi, que não gostou muito da saída de seu mestre rumo ao Real Madrid (assista abaixo).

Frank Lampard <3 John Terry: Os dois estarão para sempre entre os maiores jogadores da história do Chelsea e, além da proximidade e química dentro de campo, costumavam juntar as famílias e passar férias juntos. Terry já disse que acha o amigo o maior jogador do clube em todos os tempos.

David Beckham <3 Gary Neville: Dentre a famosa “Classe de 92” do Manchester United, provavelmente estes dois foram os que mais criaram laços. Aposentados dos gramados, são melhores amigos até hoje, como confidenciou Neville no ano passado. Já Becks chegou a dizer que só tem três amigos próximos e o ex-lateral está entre eles. Um foi padrinho de casamento do outro. Sempre juntos.

Ronaldinho Gaúcho <3 Lionel Messi: Quando o brasileiro já era o melhor do mundo, vencedor de Copa e camisa 10 do Barcelona, Leo dava seus primeiros passos no Camp Nou. E foi R10 quem deixou o futuro melhor do mundo à vontade dentre os companheiros “seniores”, fato este jamais esquecido pelo argentino, que sempre fala com ternura do ex-companheiro. É sabido que, quando Ronaldinho passava má fase no clube, La Pulga fez o que pôde para que o amigo continuasse por lá. Além disso, foi Ronaldinho quem deu a assistência para o primeiro gol de Messi com a camisa azul-grená (assista abaixo).

Fechar X
Sem mais artigos