A direção do Bayern de Munique, em especial o presidente Uli Hoeness, mininizou nesta terça-feira (26) o caso do suposto “traidor” no vestiário do clube, que estaria revelando detalhes das estratégias e escalações do técnico Josep Guardiola ao jornal alemão Bild.

“Os atletas estão morrendo de rir com o que saiu na imprensa. Eu acho engraçado. Se esse é esse o único problema que temos, acho que podemos viver muito bem com ele”, disse Hoeness.

No elenco, o lateral e capitão Philipp Lahm, sem ser específico, garantiu que há regras que devem ser quebradas. Já o meia-atacante holandês Arjen Robben, lamentou o episódio, mas admitiu que a situação é recorrente não apenas no clube.

“Estou a cinco anos no Bayern e que esse tipo de coisa acontece de vez em quando”, afirmou Robben.

Nessa segunda-feira (25), Guardiola não gostou nada de saber dos fatos e prometeu demitir o atleta, ou os atletas, que forem pegos passando informações à imprensa. Segundo o espanhol, “cabeças vão rolar” quando o caso vir à tona (relembre aqui).

Fechar X
Sem mais artigos