Reprodução / KBS News

O cantor Jung Joon-young, de 30 anos, foi preso nesta quinta-feira (21) por filmar relacionamentos íntimos sem o consentimento das vítimas e depois compartilhar os vídeos com um grupo de amigos, de acordo com as informações da CNN.

O ídolo do k-pop foi detido após participar de uma audiência na corte sul-coreana, onde pediu perdão às mulheres. Com a cabeça abaixada e postura curvada, ele fez uma declaração à imprensa ao sair: “eu sinto muito. Admito que todas as acusações contra mim são verdadeiras e não irei contestá-las. Vou, humildemente, acatar a decisão do tribunal”. “Eu me curvo como um pedido de desculpas às mulheres que foram vitimizadas pelas minhas ações”, disse. Segundo a CNN, no final da audiência ele foi algemado e levado por policiais.

O canal informou que Jung pode ser sentenciado a até cinco anos de prisão ou ser requisitado a pagar uma multa de aproximadamente US$ 26.400. Ele é acusado de integrar um grupo online no qual membros dividiam vídeos de atos sexuais sem que as vítimas soubessem.

Na semana passada, Jung já havia declarado que iria se aposentar da indústria do entretenimento e admitiu a culpa no escândalo sexual, que estourou após envolver o nome de Seungri, ex-membro de um dos mais bem sucedidos grupos de k-pop, o Big Bang. Ele é suspeito de oferecer garotas de programa a investidores.

Fechar X
Fechar X
Sem mais artigos