A notícia de que Théo de Salve Jorge, interpretado por Rodrigo Lombardi, transaria com a vilã Lívia (Claudia Raia) para conseguir informações sobre Morena (Nanda Costa), nos próximos capítulos da novela, deixou o público decepcionado com o personagem. Ele, que tem como música tema Esse Cara Sou Eu, de Roberto Carlos, sempre agiu em benefício ao seu amor pelo traficada.

Mas, dessa vez, achando que a sua amada está morte, ele reatou seu relacionamento com Érica (Flávia Alessandra) e, mesmo assim, irá agir como um cafajeste em nome de seu amor por Morena.

Em entrevista para o jornal Diário de São Paulo, em nota publicada nesta quinta-feira (14), Glória Perez, que é autora da trama, defendeu o personagem: “Não é um novo Théo. O Théo ‘esse cara’ continua sendo o mesmo para aquela mulher que ama. Não para todas, nenhum homem seria assim”.

Já a intérprete da vilã da novela, Claudia Raia, declarou: “Todos nós temos um lado cafajeste. É o lado B do ser humano. O que vamos ver agora é o lado B do Théo. Mas ele está consciente. Quer pegar essa mulher na curva, quer justiça. A maneira que tem de fazer isso é seduzindo Lívia. E ela cai como uma patinha”, conta Claudia, lembrando que, para o militar, Morena está morta: “Tanto que, quando chega à Turquia, ele fica desesperado, pensando nela. Théo continua ligado a Morena, faz tudo o que faz em função dela. É uma oportunidade que ele vê de lavar a honra de Morena. É meio sujo? É. As pessoas vão ficar com ódio? Vão. Lívia é uma mulher horrorosa, é para ficar com ódio mesmo”.

Fechar X
Sem mais artigos