Marcelo Adnet está comemorando o seu novo trabalho na TV Globo. Após o fim
das gravações de O Dentista Mascarado, ele está com um quadro de esporte no
programa Fantástico, que vai ao ar aos domingos.

Em entrevista para o jornal Diário de São Paulo, desta quarta-feira (19),
ele contou: “Minha onda é criar, mais do que atuar. Agora, podendo criar os
esquetes, eu me sinto mais ativo, é mais a minha vocação. Não que eu não
tivesse abertura no Dentista. Os autores (Fernanda Young e Alexandre Machado)
sempre me deram abertura total, mas a rotina era tão intensa que eu não tinha
tempo para escrever. Na MTV, eu tinha liberdade de criação e agora reencontrei
a liberdade”.

Sem esconder o jogo, ele também comentou as críticas que recebeu pelo
seriado que fez ao lado de Taís Araújo e Leandro Hassum: “Na carreira, a gente
tem altos e baixos. Alguns gostam e outros não. Nada é unânime. Ainda mais
hoje, com a internet, onde todos escrevem o que querem e, muitas vezes, de
forma anônima. Mas sou um profissional e tenho de trabalhar. Se for ouvir muito
as pessoas, vira uma loucura. O Dentista foi um trabalho diferente, mas foi
mais um trabalho. Eu me esforcei, não matei nem fiz mal a ninguém. Entendo as
críticas”.

Quando Adnet resolveu deixar a MTV e assinar contrato com a TV Globo,
algumas pessoas o criticaram pela escolha: “Algumas pessoas me chamam de
vendido, mas eu não tive opção. A partir do momento em que soube que a MTV ia
acabar, não poderia continuar. Fiquei lá durante cinco anos, mesmo com assédio
de outras emissoras. Sou só um profissional tentando trabalhar. Se a MTV
acabasse e eu não fosse para a TV aberta, estaria fora”.

Fechar X
Sem mais artigos