Em entrevista ao site TMZ, o suposto amante do cantor Michael Jackson, Jason Pfeiffer, voltou a dizer que se relacionou com o astro da música. Ele, que foi desmentido no Facebook pelo médico Arnold Klein, para quem trabalhou durante 11 anos, explicou ao site que teria sido sabotado pelo ex-patrão.

O médico, de acordo com Jason, teve medo de ser incriminado no julgamento de Conrad Murray, principal suspeito da morte do músico, e por isso afirmou que o relacionamento entre Pfeiffer e Jackson nunca aconteceu. O homem insistiu: “A história é verdadeira. Tivemos relações sexuais, mas não chegamos a viver um grande caso de amor”, contou. “Foi justamente Klein quem me incentivou a tornar a história pública”.

Arnold já chegou a dizer em outra ocasião ao TMZ que Michael era gay, e que sua única relação havia sido com Jason. Klein ainda completou sua frase ao dizer que Pfeiffer era o “amor da vida de Michael”. Depois de dizer tudo isso ao site, ele escreveu em seu Facebook que essas histórias foram “inventadas e seriam ridículas”. Ele ainda tirou um sarro das alegações de que teria contribuído para a morte do rei do pop. “Eu mesmo fiz duas intervenções sobre abuso de Propofol em Michael…”.  

Arnold Klein foi dermatologista de Michael Jackson por muitos anos.



Fechar X
Sem mais artigos