William Waack em entrevista a canal de Youtube

William Waack em entrevista a canal de Youtube

William Waack concedeu uma entrevista ao canal de Youtube do jornalista Marcelo Bonfá. Em uma longa conversa, eles falaram sobre o vídeo que levou a demissão do âncora do Jornal da Globo. Ele negou ter sido racista e disse que tudo não passou de uma piada entre amigos.

“Eu estava brincando com o Paulo Sotero, como acontece muito com apresentadores antes de transmissões ao vivo, a gente fica falando todo o tipo de bobagem possível e imaginável. O que não justifica o que eu disse. Foi uma piada cochichada no ouvido do Paulo Sotero. Esse vídeo, o trecho, foi roubado por dois rapazes de dentro da Rede Globo e o restante da história é conhecida”, relembrou o jornalista.

William disse que não foi racista. “Não acho que foi um comentário racista de jeito nenhum. quando você me pergunta se eu fiz um comentário racista, eu te digo: não. Eu fiz uma brincadeira, citando um cinegrafista amigo meu, Gil Moura, que foi acusado de não ser preto o suficiente. Ele saiu em minha defesa e foi acusado de não ser preto. Isso é racismo. Pureza racial é racismo. O Gil Moura me disse: William, você fez uma piada idiota. Ok! Não vou brigar com o Gil. Foi uma piada idiota, não uma manifestação racista. Meu apelido é Alemão. Pessoal que trabalhava comigo falava: ‘pô, alemão, porque foi falar um negócio desse’. Eu disse: ‘quem é que não fala uma merda entre amigos. Quem está em um ambiente relaxado e não fala uma bobagem na qual não acredita?'”, afirmou.

William Waack

TV Globo/Divulgação William Waack

“Não fiz uma manifestação racista, eu fiz uma piada. Piada não é manifestação racista. Até porque um pensamento racista nunca poderá ser uma piada. É importante para as pessoas terem isso na cabeça. Uma piada inconsequente pode ser interpretada por alguns como ofensa. E isso aconteceu! A aqueles que se sentirem ofendidos, novamente, eu peço desculpas. Não era a intenção. Eu não sou racista”, completou.

Marcelo Bonfá pergunta, então, se William tem amigos negros. “Não digo que tenho amigos negros porque eu não separo eles pela cor. Isso é fundamental. Eu sou um liberal. Eu acredito que o individuo é sagrado. Acredito nas pessoas. Não as divido pela cor, pela religião. Você nunca vai me ouvir dizer que eu tenho um amigo judeu, um amigo católico, muçulmano”, esclareceu.

William Waack relembrou que foi defendido por Glória Maria. “Ela foi a público e disse: ‘convivi com o William anos, esse cara não é racista porra nenhuma’. Liguei pra ela e falei ‘Glória, você vai apanhar, os caras estão me batendo e tem uma tremenda hipocrisia no ar’.  Ela disse ‘Não quero saber, não vou com a maioria. Quero te autorizar a usar minhas palavras'”, contou.

“Heraldo Pereira é meu irmão, a gente comemora aniversário juntos, porque são próximos. Ele disse que eu fiz uma piada besta e que agora iriam cair em cima de mim. o Heraldo frequenta a minha casa, ele é meu hóspede em algumas ocasiões. E pensamos em fazer algumas coisas. E eu disse pra ele: Heraldo, não se mete, cara. Você só vai ter problemas com a empresa. Vai entrar numa briga que deixou de ser um problema de racismo e passou a ser uma outra questão abrangente”, finalizou.

Confira o vídeo completo aqui:

Fechar X
Sem mais artigos