Pesquisadores avaliaram funcionamento da rede social durante seis meses em mais de 90 países

Uma pesquisa acusou o Facebook de apoiar a expansão do Estado Islâmico, ISIS, via sugestão de amigos por interesse. Segundo pesquisadores, o algoritmo usado pela empresa de rede social ajudou milhares de extremistas a se conhecerem e se conectarem. As informações foram publicadas no Independent.

O estudo avaliou as atividades do Facebook de 1 mil usuários a favor das ações do Estado Islâmico em 96 países. A pesquisa descobriu que frequentemente os membros foram conectados via Facebook. Robert Postings, um dos pesquisadores, disse que após clicar em páginas não-extremistas sobre o Estado Islâmico, ele recebeu diversas sugestões de amigos relacionados ao ISIS.

“O Facebook, em um desejo de conectar a maior quantidade de pessoas possível criou um sistema que ajuda a conectar extremistas e terroristas”, afirmou Postings. O estudo também avaliou as ações do Facebook para barrar a divulgação de material extremista na rede social. Das 1 mil contas avaliadas na pesquisa ao longo de seis meses, menos da metade foi suspensa pelo Facebook.

Fechar X

Fechar X
Sem mais artigos