O ex-analista americano da CIA Edward Snowden, que está desde 23 de julho no aeroporto Sheremetyevo de Moscou, solicitou asilo político a outros seis países, segundo informou nesta sexta-feira o portal Wikileaks pelo Twitter.

“Edward Snowden solicitou asilo a outros seis países. Não serão desvelados por enquanto devido à interferência dos Estados Unidos”, diz a mensagem de Twitter.

Segundo o Wikileaks, Snowden pediu asilo em 27 países – 15, segundo o Kremlin – muitos dos quais ou rejeitaram a solicitação ou puseram como condição que o litigante se encontre em seu território.

Os últimos a negar asilo a Snowden foram a Itália e a França – cujo ministro do Interior, Manuel Valls explicou que os EUA “são um país amigo” e “democrático” que tem “uma justiça independente” e com o qual tem convenções de cooperação judicial.

Enquanto isso, Moscou pediu a Snowden que se decida se pedirá ou não asilo político na Rússia, cujo presidente, Vladimir Putin, lhe deu como condição para ficar no país que renuncie a suas atividades contra os EUA.

As autoridades russas deixaram claro, no entanto, que não entregarão Snowden de forma alguma, independentemente das ações que tenha cometido.

Fechar X
Sem mais artigos