A Venezuela seria a melhor opção para o
ex-técnico da CIA Edward Snowden, afirmou neste sábado Alexei Pushkov,
chefe do comitê de Relações Exteriores da Duma, a Câmara dos Deputados
da Rússia.

“O asilo de Snowden na Venezuela seria a melhor das
opções. Esse país tem uma relação tensa com os Estados Unidos. Pior não
seria”, disse Pushkov no Twitter.

O deputado, que chamou
Snowden de defensor dos direitos humanos no mês passado, acrescentou:
“Não vai ficar vivendo em Sheremetievo (o aeroporto de Moscou)”.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, que visitou a Rússia pela
primeira vez nesta semana, ofereceu ontem em Caracas “asilo humanitário”
a Snowden, que é procurado pelos Estados Unidos por espionagem e se
encontra na zona de trânsito do aeroporto de Moscou desde 23 de junho.

Na última terça-feira em Moscou, Maduro pediu ao mundo proteção para
Snowden e para todos aqueles “que se atrevem a dizer as verdades sobre
as tentativas do império americano de controlar o mundo”.

O
presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, também confirmou hoje que
concederia asilo a Snowden, “se as circunstâncias permitirem”, após
confirmar ter recebido a correspondente solicitação.

Tanto a
Venezuela como a Nicarágua mantêm estreitas relações com a Rússia e, de
fato, são praticamente os únicos países que reconheceram a independência
das regiões separatistas da Geórgia, Ossétia do Sul e Abkhazia.

O site Wikileaks informou ontem à noite que Snowden tinha solicitado
asilo político a outros seis países, mas que estes não seriam revelados,
“por enquanto, devido à interferência dos Estados Unidos”.

Segundo o Wikileaks, Snowden pediu asilo em 27 países – 15, segundo o
Kremlin -, muitos dos quais ou rejeitaram tal solicitação, ou puseram
como condição que o litigante estivesse em seus territórios.

Os últimos que negaram asilo a Snowden foram Itália e França, cujo
ministro do Interior, Manuel Valls explicou que os EUA “são um país
amigo” e “democrático” que têm “uma justiça independente” e com o qual a
França tem acordos de cooperação judicial.

Moscou pediu ao
ex-técnico da CIA que se decida se vai pedir ou não asilo político na
Rússia. O presidente Vladimir Putin pediu como condição para que fique
no país o fim de suas ações contra os EUA.

Fechar X
Sem mais artigos