O Greenpeace diz que não é, mas a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), da Organização das Nações Unidas (ONU), vistoriou a minha de urânio em Caetité, na Bahia, e concluiu que as atividades das Indústrias Nucleares do Brasil (INB) são seguras e não provacam danos ao ambiente.

A organização ambiental denunciou a INB depois de detectar que a água de poços nas rendondezas da mina estavam contaminadas com urânio. O consumo de água em três pontos da cidade chegou a ser proibido após notificação do Instituto de Gestão das Águas e Clima (Ingá), da Secretaria de Meio Ambiente do estado, apontando índices de radioatividade superiores aos permitidos pelo Ministério da Saúde.

A estatal nega ser a responsável e alega que a radioatividade encontrada na água da zona rural de Caetité é consequência da presença de urânio no solo da região.

Lei mais sobre o assunto aqui.

Fechar X
Sem mais artigos