A Câmara dos Deputados lançará na próxima quarta-feira (3) a rede social E-Democracia. Com o objetivo de ampliar o debate sobre projetos de lei, o rede também terá perfil de políticos e permitirá que os cidadãos sugiram e participem, virtualmente, das atividades legislativas da Casa.

O site será aberto a todos os internautas, mas não permitirá protestos. A diferença entre a E-Democracia e outras redes sociais (como Orkut e Facebook) é que a rede social da Câmara foi criada exclusivamente para a discussão de projetos de lei.

Para garantir que os parlamentares tenham acesso às sugestões da rede social, relatórios periódicos serão enviados aos deputados para informar o que foi discutido.

Entre as formas de participação, o internauta poderá sugerir uma nova redação para os projetos de lei, por meio da ferramenta de produção colaborativa Wikilegis, cujo conceito é semelhante ao da Wikipedia.

Fechar X
Sem mais artigos