A morte do astro Michael Jackson foi tão repentina e comentada que tocou os corações até mesmo daqueles que não eram seus fãs. Aliás, inclusive dos críticos, até então acostumados a perseguir o Rei do Pop em todas as situações em que tinham oportunidade.

Mas, se aqueles que rejeitavam e odiavam o cantor já se derreteram todos frente à comoção geral que se seguiu à notícia do óbito do cantor americano, imagine como não se sentiram aqueles que construíram carreiras em cima de seu amor por Michael, ou seja, os covers.

“Eu não acreditei na hora que eu ouvi e fiquei só torcendo para que fosse mentira”, declarou Rodrigo Teaser, que imita Michael desde os 9 anos de idade. “Eu sou fã desde os cinco anos e sempre amei tudo ligado a ele”. A mesma sensação de vazio foi compartilhada por seu xará Rodrigo Jam, outro que faz shows travestido como o Rei do Pop. “Minha nossa senhora, foi um baque imenso pra mim”, exclamou ele. “A ficha não caiu até quando assisti a seu funeral. Eu mal pude acreditar.”

Apesar de o velório de MJ ter dividido as opiniões da imprensa mundial – e ser vítima de severas críticas da Elizabeth Taylor, amiga íntima do astro, que classificou a cerimônia como “um circo”, os covers classificaram o evento como emocionante.

“Eu achei lindo. Toda a comoção dos artistas, a participação deles… Eu chorei muito, especialmente com o depoimento emocionado da filha dele. Foi muito triste”, comentou Jam, cover de Jackson há 12 anos. “Eu nunca vi um ser humano causar tanta repercussão assim na minha vida.”

Teaser mostrou-se mais de acordo com a opinião de Liz Taylor, mas disse que achou o funeral muito respeitoso. “Fiquei com medo, mas achei bacana a colaboração das pessoas e o respeito que mostraram pelos familiares. Só achei uma pena que os amigos mais próximos dele como (os atores) Eddie Murphy e Chris Tucker não compareceram”, afirmou

Mas é como dizem, vão os anéis e ficam os dedos. A morte do rei do pop vai transformar essa data em mais um marco da história da música que, com toda certeza, vai gerar imensas peregrinações de seus fiéis seguidores até seu local de descanso final.

“Eu acho sim que as pessoas vão continuar amando Michael para sempre”, concorda Teaser. “Se um dia abrirem os portões de Neverland (casa onde ele morou) para visitação, estarei lá com certeza. Tinha até comprado dois ingressos para ver os shows.”

“Pra mim, as peregrinações para ver Michael serão maiores do que as para ver Elvis. Não tenho dúvida de que não há ninguém tão amado quanto ele neste momento”, decreta Jam.

Quem quiser contratar para shows os covers de Michael, ou de outros artistas, pode contatar suas agências: a GM e a Leny Produções.

Fechar X
Sem mais artigos