A crise econômica e a desvalorização da libra esterlina fizeram com que Mônaco seja atualmente a cidade com o metro quadrado mais caro do mundo (50 mil euros), passando à frente de Londres (28 mil euros).

Um relatório realizado pela empresa de consultoria Knight Frank em colaboração com o Citi Private Bank confirma a queda no preço dos imóveis na capital do Reino Unido, os quais ainda são mais caros do que em cidades como Nova York (16.500 euros por metro quadrado em Manhattan), Moscou (16.200 euros) e Paris (16 mil euros).

Na opinião dos autores do relatório, o caso de Londres é paradigmático, já que a “dramática” queda nos preços ocorreu devido aos descontos oferecidos e à queda da libra frente ao euro.

Isto tornou o mercado londrino mais convidativo para os compradores internacionais, já que, em alguns casos, o preço pago por um imóvel é a metade do que há alguns meses atrás.

Segundo os autores do estudo, “2008 foi um ano para esquecer” no setor imobiliário, já que “os preços caíram quase pela metade” nas 55 cidades do mundo com maior atividade de venda e construção de imóveis.

O relatório também reconhece que “em regiões onde a demanda residencial é limitada ou inclusive inexistente, os investidores criaram um mercado artificial, sem o qual não há nada que sustente os preços”.

O preço por metro quadrado aumentou em capitais de países emergentes, como em Moscou (13%), Jacarta (18%) e Bangcoc (23%).

Quanto aos chamados “paraísos fiscais”, os preços não mudaram muito nas ilhas Cayman ou nas Bermudas, por exemplo, enquanto que em Mônaco houve um leve aumento de 2,1%.

Fechar X
Sem mais artigos