Como será que o clima pode afetar as vendas do varejo? De acordo com uma pesquisa divulgada pela Serasa, o frio registrado no mês de junho contribuiu para a elevação das vendas do setor em 1,7%, na comparação com o mês anterior. Os produtos como tecidos, vestuários, calçados e acessórios tiveram um avanço de 5,1% neste período.

Um exemplo de alta do varejo por conta do clima é durante o verão. Nessa época as vendas de bebidas, como refrigerantes e cervejas, além de sorvetes, costumam ter um salto na comparação com os meses anteriores, quando o tempo não é tão quente.

Aproveitando a redução de impostos, as vendas de veículos, motos e peças também registraram avanço em junho, de 2,7%. No segmento de móveis, eletroeletrônicos e equipamentos de informática o crescimento foi de 3,9%.

De acordo com o levantamento, junho foi o quinto mês consecutivo de alta nas vendas varejistas. “Os segmentos respondem bem aos estímulos fiscais e também à gradativa normalização da oferta de crédito, principalmente para as pessoas físicas”, informou a Serasa, por meio de nota à imprensa.

A redução de impostos também passou a fazer efeito para os materiais de construção. Segundo o levantamento, o setor registrou em junho a segunda alta de vendas do ano, 1,1%. No mês anterior, a variação positiva havia sido de 0,3%. A tendência é que as vendas sigam em alta, já que a economia dá sinais de recuperação.

No acumulado dos seis primeiros meses do ano, de acordo com a Serasa, o comércio varejista acumula crescimento de 3,8%. O principal responsável pelo resultado são os setores de móveis, eletroeletrônicos e informática, com alta de 8,9%, seguido do de veículos, motos e peças, com elevação de 3,6%.

Apesar dos bons resultados em junho, alguns segmentos apresentaram queda de atividade no acumulado anual. Foram o de tecidos, vestuário, calçados e acessórios (-0,1%) e o de material de construção (-11,7%). Agora, a expectativa é de reversão desse quadro nos próximos meses.

Fechar X
Sem mais artigos