Nova York fez nesta sexta-feira (11) um minuto de silêncio em tributo às vítimas dos atentados contra as Torres Gêmeas em 11 de setembro de 2001, para iniciar, assim, a comemoração do oitavo aniversário de ataques no quais quase 3 mil pessoas morreram.

“Enquanto nossos corações se voltam para aqueles que perdemos, também lembramos todos os que espontaneamente ajudaram no que puderam e como puderam”, disse o prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, antes de pedir que os presentes se unissem à homenagem em lembrança das vítimas.

“Nova York prestará homenagem a todos os que perdemos, avivando o espírito de serviço que deu a nossa cidade espírito de esperança e nos ajudou a continuar fortes”, acrescentou.

Os parentes, voluntários e autoridades que participam da solene cerimônia inicial nas imediações do Marco Zero fizeram um primeiro minuto de silêncio às 8h46 local (9h46 de Brasília), coincidindo com o momento em que, há oito anos, o primeiro dos aviões sequestrados bateu contra uma das Torres Gêmeas.

Após o primeiro minuto de silêncio, as igrejas e outros centros religiosos fizeram soar seus sinos pouco antes do início da leitura dos nomes das 2,752 mil pessoas que morreram nos ataques ao World Trade Center, um rito que, este ano, teve a participação do vice-presidente dos EUA, Joe Biden.

Este ano, essa tarefa corresponde, além de personalidades e familiares das vítimas, a voluntários que tentaram aliviar os efeitos dos atentados.

A leitura da relação de vítimas, que, no total, será feita por 320 pessoas, foi interrompida também às 9h03 local (10h03 de Brasília), coincidindo com o momento em que o segundo avião sequestrado bateu na segunda torre.

A cerimônia voltará a ser interrompida às 9h59 (10h59 de Brasília) e às 10h29 (11h29 de Brasília), que marcam os momentos em que desabou cada uma das Torres Gêmeas.

Os atos comemorativos, que começaram marcados por um dia chuvoso e frio em Nova York, durarão grande parte do dia e por vários pontos do país.

Também às 8h46, o presidente Barack Obama fez um minuto de silêncio junto à esposa, Michelle Obama, em Washington, onde participará pela primeira vez como presidente dos atos do 11 de Setembro, com um comparecimento no Pentágono, um discurso e uma reunião com familiares das vítimas.

Durante seu discurso, Obama deve pedir aos americanos para participar de tarefas de voluntariado, como maneira de honrar a memória das quase 3 mil vítimas fatais dos ataques contra as Torres Gêmeas em Nova York, o Pentágono em Washington e na Pensilvânia.

Fechar X
Sem mais artigos