A “farra aéreas” na Câmara parece continuar. Segundo reportagem do jornal Folha de S. Paulo deste domingo (10/05), a Câmara dos Deputados paga o salário do piloto do avião particular do ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima. Oficialmente, o piloto Francisco Meireles está registrado com um salário de R$ 8.040 como secretário parlamentar no gabinete do deputado Edigar Mão Branca (PV-BA).

Mão Branca é suplente de Geddel, que está licenciado do cargo de deputado federal pelo PMDB da Bahia desde o início de 2007, quando foi nomeado ministro pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Desconhecido da secretária do gabinete de Mão Branca, o ministro Geddel Vieira Lima disse estar ciente de que o piloto é contratado como secretário parlamentar, mas que paga “a ele por hora de voo”.

Por sua vez, Mão Branca não soube explicar exatamente o que Meireles faz como secretário parlamentar. “Amanhã mesmo [sexta] vou precisar dele para deixar algumas demandas com ele lá em Salvador para resolver para mim porque eu estou hoje [quinta] aqui em Brasília com acúmulo de muita coisa”, disse Mão Branca.

O piloto Meireles, 54 anos, é irmão de Hildécio Antonio Meireles Filho, 53, prefeito de Cairu, uma pequena cidade da Bahia com 8.656 eleitores. Hildécio é filiado ao PMDB, partido de Geddel. No ano passado, o ministro foi o cacique baiano mais bem-sucedido nas eleições municipais do Estado – o irmão de seu piloto foi um dos 113 prefeitos que ele ajudou a eleger no primeiro turno.

Segundo o jornal, Meireles disse não ver conflito entre ser piloto de avião e empregado do gabinete. Segundo ele, só tem sido piloto como “free-lancer”. Lembrou-se de ter levado Geddel a duas cidades no fim de semana passado. No 1º de Maio, para Itapevi. No dia 2, para Remanso.

Fechar X