A Copa do Mundo de 2010 será realizada na África do Sul. Para quem quer saber mais sobre o país, o Girls & Boys conversou com a estudante de direito Paloma Carvalho, que ficou dois meses por lá e preparou algumas dicas para quem quer conhecer a Cidade do Cabo.

Pra comer e beber: Eles não têm o costume de comer muito de dia, mas de noite todos os restaurantes e bares ficam lotados. A rua mais famosa lá chama-se “Long Street” e é onde fica a maioria dos bares e restaurantes. Os preços para entrar nas baladas varia entre 10 e 50 rands, ou seja, menos de 15 reais para nós. Tem um bar com sinuca em vários bairros que se chama Stones. É bem legal, pois toca música, tem bar, várias mesas de sinuca e custa 10 rands pra entrar.

Os restaurantes tradicionais africanos, como o Mama África, servem carne de avestruz, veado, crocodilo e comidas típicas. Os sul africanos também gostam muito de massa, pizza, comida mexicana e indiana. Tem vários restaurantes e bares desse tipo pela cidade. Muito bons e baratos.

O restaurante que eu mais amei e que é imperdível, porém não muito barato, se chama Moyo e é maravilhoso. Você come em cima de uma “casinha na árvore” junto com esquilos e flores. Eles servem comida africana, tocam música típica, fazem pinturas africanas no seu rosto. Esse restaurante fica em uma cidade bem próxima a Cape Town, chamada Stellenbosch. É a cidade dos universitários e do vinho. Quem gosta de vinho precisa ir pra lá, há várias fazendas de vinho e você pode fazer degustação. Uma garrafa maravilhosa de vinho custa 70 rands, ou seja, menos de 20 reais.

Outra comida típica se chama biltong, é tipo uma carne seca, que se compra em supermercado e come como se fosse um salgadinho. Eu não gostei muito mas todos adoram.

Baladas: Ainda na “Long Street” há uma balada de eletrônico que se chama Bang Bang, onde vão as pessoas mais bonitas. Um pouco mais alternativo, que toca rock e bandas e depois vira balada, é o Zula.

Outro bar muito legal que tem em vários bairros é o Cape to Cuba, um bar inspirado em Cuba, todo decorado e que tem um mojito maravilhoso. A balada mais top se chama Tiger Tiger, só tem gente bonita.

Há um bairro que se chama Campsbay que é como se fosse Los Angeles, só carros conversíveis, modelos, milionários. É um bairro que conta com um monte de restaurantes e bares ao longo de uma praia maravilhosa. O melhor deles chama Café Caprice, cheio de modelos e patricinhas.

Pra beber: Uma bebida imperdível (pra mim a melhor de todas) são as bebidas de cidra. Tem várias marcas, mas a mais famosa é a Savanna. Parece uma cerveja, porém mais doce e mais alcoólica. Você compra em qualquer bar, restaurante ou balada. O truque é colocar um limão espremido dentro da garrafa. Fica divino!

O porto de Cape Town também é muito bonito e tem vários bares. Ele se chama Waterfront e tem shopping, bares ao ar livre com músicos tocando instrumentos. O estádio de futebol para a Copa (que quando eu estava lá ainda não tava pronto) também é lá. Bem ao lado do shopping de Waterfront!

Pra visitar: As praias mais bonitas e badaladas são Clifton e Camps Bay, mas há várias outras muito bonitas e legais. O único problema é que em todas as praias o mar é muito gelado. Em Durban eu sei que há praias maravilhosas e o mar é quente, mas eu não fui até lá.

Pontos turísticos imperdíveis: Table Mountain (montanha símbolo da Cidade do Cabo, parece uma mesa, pois é retinha no topo), onde você paga só 30 rands e sobe até o topo de bondinho. Tem a vista mais linda do mundo! Também é imperdível o Cape Point (Cabo da Boa Esperança), a divisa entre o Oceano Índico e Pacífico. Você sobe até o topo com um trenzinho, é demais!

Diversão: Fora isso há muitos outros programas radicais e imperdíveis, porém não muito baratos: mergulho com tubarões (shark cage diving), bungee jump, safaris de todos os tipos e preços. Tem alguns safaris mais baratos, mas o maior de todos fica na divisa com Moçambique, no norte da África do Sul.

Pra comprar: Tem muitos shoppings, outlets de marcas boas e tudo muito barato. Mas o mais bonito é o Green Marquet Square, uma feira ao ar livre só de artesanato e coisas africanas, desde vestidos, pinturas, acessórios, presentes… tudo muito lindo.

Ponto negativo: O ponto baixo da Cidade do Cabo é o transporte público: Não existe metro nem ônibus! É horrível. Você precisa ou alugar um carro ou andar de taxi, que não é muito barato, ou então umas vans que geralmente os mais simples pegam, cujos motoristas dirigem feito loucos e colocam muita gente dentro, é bem perigoso.

Fechar X
Sem mais artigos